hey na na, eu vim aqui pra te falar o que eu ando…

OUVINDO: TWEEDY E BANDA DO MAR

tweedypress

TWEEDY – O Jeff Tweedy (Wilco) e o Spencer Tweedy (filho)  agora tocam como Tweedy, ouvindo sem parar Sukierae, o álbum que foi lançado o ano passado; Summer Noon está na trilha sonora do incrível Boyhood do Linklater.

bandadomar2

BANDA DO MAR – Acho que dispensa apresentações. Álbum (homônimo) solar do começo ao fim, com vocais alternados de Camelo e Mallu. Também fica no repeat no meu Spotify.

LENDO: A GAME OF THRONES (GEORGE R. R. MARTIN) – Kindle Edition

Eddard
(imagem via)

Comecei agora o primeiro livro e já estou prevendo que vou precisar deles na minha estante.

ASSISTINDO: GAME OF THRONES

jon

A razão pela qual eu comecei a ler o livro. Estou acompanhando a 5a temporada e como assim ninguém me falou pra assistir antes? (Falaram). Jon Snow e Daenerys – minhas linhas narrativas preferidas.

FAZENDO NO CABELO: MEIO-PRESO

Alexa Chung hair

90% das vezes que você me ver na rua, meu cabelo vai estar preso assim. Porque é prático, porque é bonito, porque é todo querido anos 60.

COMENDO: DIETA DUKAN – FASE CRUZEIRO

dukan

Queijo mascarpone com cacau, assados, legumes, saladas, gelatina, doce de abóbora…. Tudo isso faz parte da minha dieta na Fase Cruzeiro. Tem sido dificil, tem dias que dá vontade de jogar tudo pro alto e comer um prato de macarrão carbonara. Mas a bichinha tem funcionado, então a dieta fica.

PLANEJANDO: A VIAGEM PRA MONTEVIDÉU

salvo

A segunda coisa que eu mais gosto de fazer depois de viajar é planejar a viagem. Adoro estudar mapa, achar lugares inusitados pra comer e visitar. Quem já foi pode me dar dicas, aceito todas.

DESEJANDO: TER UMA REDE DENTRO DE CASA

rede-dentro-de-casa-tendencia-decoracao-1 (1)

Não vejo a hora!

ACESSANDO: ANINE’S WORLD (BLOG DA DESIGNER ANINE BING)

Anine Bing showroom

Anine is one cool lady. Inspiração pra quem eu quero ser quando eu crescer. Mãe, esposa, designer, através do blog ela nos leva à sua sala de criação, suas viagens e passeios com os filhos, inspirações.

Anúncios

De mala (sem cuia)

Desde janeiro de 2013 quando viajei com minha mãe para Buenos Aires, estamos com vontade de  visitar Montevidéu. Então em Julho vamos viajar mãe e filha novamente, para a capital do Uruguay. Minha mãe gosta de passeios culturais e eu também, andamos o dia todo (aos 65 ela ainda dá um baile em mim), gostamos de window shopping – sem falar que, não temos frescuras pra comer. Melhor que viajar com minha mãe, só com o marido ❤

Olhando o blog, notei que não escrevi muito sobre a nossa viagem à Argentina (eu havia acabado de perder meu pai, acho que foi isso). Então quando voltar, vou fazer post completo com fotos e dicas dos dois lugares.

Essa viagem vai chegar na beira de uma outra coisa acontecendo, que parece que vai dar certo.

Weekend getaway: Akimatsuri em Mogi das Cruzes

Semana passada vimos que haveria um Matsuri (festival) em Mogi das Cruzes (uns 65km daqui de SJCampos) e não pensamos duas vezes: weekend getaway! Pegamos uma pernoite no único Ibis da cidade e fomos ontem de manhã (aliás, o hotel é novo, foi inaugurado 1 ano atrás). Fizemos check-in perto do almoço e fomos descansar, porque queríamos ficar no festival até tarde.

À tarde, perto das 16:00hs, chegamos no Akimatsuri (que aconteceu no Bunkyo de Mogi das Cruzes). Fomos direto aos stands ver o que tinha pra comer.

20150418_193458229_iOS

Primeiros pratos degustados: hot roll, yakitori e takoyaki (que eu não comia desde que voltei do Japão em 2008).

Hot roll de salmão.

Hot roll de salmão.

Takoyaki.

Com 15 metros de altura, esse carro alegórico abaixo (que veio do Japão e foi usado no desfile da escola de samba Águia de Ouro) é uma das grandes atrações do festival, que acaba hoje. Muito bonito, especialmente à noite, quando ele se iluminou.

Carro alegórico utilizado no Festival de Tachi Neputa, no Japão.

Beautiful.

O outro lado, mais de pertinho.

O outro lado, mais de pertinho.

Íamos e voltávamos, do palco principal (onde vimos apresentações variadas de canto, instrumentos e taiko), para as lojas, para a área de alimentação.

20150418_210327662_iOS 20150418_210554373_iOS

Lamen de shoyu e missô, sabor idêntico aos que eu comia lá. Já mais perto das 21:00hs, o Giovanni foi de Kobe burger do food truck: pão macio com hambúrguer de carne de Kobe (Wagyu), queijo, maionese com wasabi e em vez de picles, sunomono (saladinha japonesa de pepino, marinado em vinagre de arroz – lembra picles).

20150418_230006532_iOS 20150418_231844448_iOS

Saímos do festival perto da meia-noite e valeu muito ter ido! Hoje depois do café já voltamos, saudade dos gatos. Voltamos com um CD de shamisen e muitas guloseimas pra esse feriado prolongado.

Weekend getaway: Campos do Jordão

Sexta-feira santa (03/04) fomos até Campos de Jordão para um weekend getaway: uma viagem rápida de uma pernoite pra fugir da mesmice da cidade um pouquinho. Não foi nada planejado (minha mãe já estava com viagem marcada pra cá) e um dia antes decidimos procurar um hotel. Final de semana de Páscoa, não deu outra. As pousadas que eu queria, não tinham quartos ou apenas aceitavam duas pernoites em diante. Até que achei uma pousada um pouco afastada que aceitou uma pernoite só.

Mamãe em frente à pousada.

Mamãe em frente à pousada.

Como ficaríamos o dia e boa parte da noite fora mesmo, queríamos só um quarto pra dormir. O nome dessa pousada é Refúgio Alpino. Por fora ela é toda bonitinha, cercada de araucárias e tem esse ar meio de chalé de montanha. Mas infelizmente, fora o staff que é muito amigável, todo o resto ficou a desejar. Não recomendo e não pretendo voltar. Tudo muito velho, camas muito antigas com roupas de cama que não tem aquele cheirinho de frescas. O único ponto positivo do banheiro foi a água extrememente quente – fora isso, deu vontade de jogar água sanitária no banheiro todo e dar uma esfregada antes de tomar banho, achei meio sujinho e extremamente apertado. Mas enfim, como disse, era só uma noite e deu pro gasto (já disse que não volto mais?).

Agora a parte agradável. Campos é pequena e só vale a pena passear na Vila Capivari mesmo.

20150403_193128119_iOS 20150403_193133248_iOS

Essa padaria fica no Pátio Paris. Já havíamos andado um pouquinho e precisávamos repor as energias num lugar bonitinho com comida bonitinha e gostosa. Minha mãe pediu esse bolo de iogurte e eu fui de brioche com fondue de chocolate (divino) e café.

Pátio Paris, Vila Capivari.

Pátio Paris, Vila Capivari.

20150403_201226953_iOS

Campos é o paraíso das compras de frio. Muita coisa barata sim, mas a qualidade fica a desejar. Tudo o que eu achei de bom acabamento, bom material e bom gosto estava caro. Vide esse chapéu de feltro que me apaixonei, mas custava uns 300 reais (e era floppy, aquela aba molenga – a verdade é que se fosse o fedora de aba larga que eu tanto quero, eu pagaria os 300 reais, porque não estou achando em lugar nenhum).

O miolinho da Vila Capivari, ali perto da Baden Baden, sempre cheio, à tarde ou à noite. Entramos em todas as lojinhas que estavam abertas. No quesito window shopping, eu e minha mãe somos imbatíveis, adoramos. Depois de uma tarde toda passeando e comendo, voltamos para o hotel.

20150403_235527770_iOS

20150403_235608468_iOS

Companheirinho ❤

20150404_003133626_iOS

Chucrute à Garni: Eisbein, Kassler, Misto de Salsichas, Chucrute e Batatas Cozidas – R$125

Há um pouco de espera na Baden Baden, mas nada horrendo (e você espera  no lounge, não no frio). Fomos de Chucrute à Garni com Baden Baden Red Ale. Serviu 3 pessoas bem. Pedimos 2 pratos, esse e um outro, mas o garçom sugeriu que pedíssemos só um, porque a porção era generosa. Acertou.

mamae e eu

As mesmas bochechas.

Depois do jantar andamos pela Vila Capivari, com suas lojas abertas, todos restaurantes cheios e muita gente bonita querendo ver e ser vista. A sobremesa foi um fondue de chocolate com morangos e uva verde em uma padaria.

20150404_114326196_iOS

No dia seguinte fomos embora depois do café. Uma coisa que me surpreendeu em Campos foi a quantidade de cachorros de rua: quase todos de raça: pastor alemão, weimaraner, pincher… Vi de tudo. Eles ficam soltos e dormem nas calçadas. Um dos taxistas me falou que os residentes pegam pra cuidar, mas logo eles fogem. Esse cachorro acima é um desses. Chamei ele de Bob. Fica lá na pousada, mas ninguém necesariamente cuida dele. Não podíamos sair lá fora que ele logo vinha ganhar carinho (mas acho que queria comida mesmo). A próxima vez que for pra Campos do Jordão, vou andar com um saquinho de ração de cachorro na bolsa.

Vi agora no blog da Luisa Mell, que eu adoro, que ela já escreveu sobre isso.

O frio é um dos charmes da cidade, tanto que ela é conhecida como a Suiça brasileira. É  realmente uma delícia tomar um vinho, ficar na lareira… Mas  eu nunca consigo realmente curtir a cidade. Meu coração fica frio e triste ao observar dezenas de cães vagando pelas ruas, com fome, sede e FRIO, MUITO FRIO!!!!

Todo mundo tem essa impressão de suíça brasileira, pelo o que a gente vê na TV. Minha impressão: a parte bonita da cidade é só a Vila Capivari. Tem muita coisa legal pra vender, mas é caro também. E realmente, eu enchi tanto o saco do meu marido e da minha mãe falando dos cachorros abandonados que nem conseguia curtir direito.

Na volta, parada na Vista Chinesa.

vista chinesa

Compras: diferente e variado, mas a qualidade não é tão boa e quando é, é caro – pra turista.
Comida: variada e gostosa, mesmos preços praticados aqui em SJCampos em restaurantes bons.
Pontos fracos: hotel ruim e a péssima situação dos cahorros de rua, muita dó. Eu não sou moradora e como turista fico numa posição assistencialista de dar restos de comida pra uma carinha fofa que vinha encostar na minha mão com o focinho frio. Se pudesse adotava (acho que a maioria dos turistas pensa assim). se alguém souber de algum jeito mais permanente de ajudar esses cachorros me avisem!

Cadê Paris.

Hoje eu acho tão fácil, essa rotina de armazenar fotos com o iPhone. As fotos tiradas são sincronizadas com o OneDrive, não perco nada. isso pra falar que perdemos as fotos de paris, da viagem de 2013. Como isso aconteceu já não interessa mais – mas hoje isso seria quase impossível. Quase, porque sempre temos que fatorar o humano que pilota as máquinas. Sobraram as fotos que eu havia colocado no blog aqui. Mas a viagem teve quase 2 mil fotos, quedê as fotos do trem bala, dos fogos de artificio do 14 de julho, do hotel, o Jardin des Tuilerie, o entorno do Pompidou,  as ruas de Strasbourg, o Tram…

Agora tá tudo aqui, no drive orgânico só. E na busca pelas fotos, ressucitamos o celular antigo e achei mais um punhado de fotos. Vou postar três que achei bem fofas.

Karl e sua gata Choupette

Karl e sua gata Choupette

Mais Choupette aqui. Como resistir à uma estátua do Karl com a Choupette no colo? Não sei qual Chanel foi essa (não foi a da Rue Cambon, porque não passei em frente).

Avenue des Champs-Élysées.

Avenue des Champs-Élysées.

Aqui, subindo a Champs-Élysées, enfeitada pelas comemorações do 14 de julho. Minha alegria é palpável em todas as fotos, até nas que foram perdidas 😦 Essa viagem foi a realização de um sonho. Eu sei, é brega falar assim, mas who cares.

Place de la République.

Place de la République.

Nosso hotel ficava a algumas quadras da Place de la République. Estava tendo uma festa do bairro, com uma banda que tocava reggae e música latina, apesar de cansados, fomos à praça, dançamos e aproveitamos.

O que remedia a situação: saber que as memórias não foram apagadas (desapega, desapega! *com ritmo da música do OLX*) e que a gente vai voltar um dia.

2014

giselle casa rosada

Voltei de viagem, passei 1 semana em Buenos Aires com minha mãe. Adorei os ares portenhos, os passeios culturais e estou feliz que pude passar esse tempo com minha mãe, especialmente depois do falecimento do meu pai. Trouxe doce-de-leite, mate, calabaza e bombilla de mate, alfajor e chai pra minha máquina de café.

Hoje já acordei fazendo uma pequena faxina em casa, lavando a roupa da viagem. Ontem na janta fiz arroz, feijão, alcatra em tiras com gengibre e espinafre refogado – tava com uma saudade de arroz e feijão. Ainda estou de férias (tenho mais 18 dias), quero ler alguns livros, ver alguns filmes, cozinhar algumas receitas – tudo antes de voltar à loucura que vai ser esse semestre por causa da Copa do Mundo.

a vida

Tenho mais uma semana. Uma semana antes das aulas voltarem, voltar a trabalhar, conhecer gente nova, alunos novos, colegas novos. Eu não sabia a falta que Hogwarts ia fazer até sexta retrasada quando voltei pra pegar minha carteira de trabalho. Hogwarts foi minha casa por 3 anos.

A firma nova é menor. Funciona diferente. Essa fase de adaptação pra mim é o pior – não sou do tipo que chama as pessoas pra almoçar, etc. Na verdade, eu sou bastante anti-sociável. Prefiro pegar um livro e ler, essa fase de conhecer as pessoas é terrível pra mim. Prefiro conhecer as pessoas pela convivência. Falando nisso, estou lendo The Great Gatsby de novo. Ano sim, ano não, igual Mrs. Dalloway. Claro que por causa do Baz Luhrmann.

Tanto Strasbourg quanto Paris me surpreenderam. Igual New York City – foi exatamente do jeito que achei que ia ser. Nem o cheiro de xixi nas ruas de Paris me incomodou. E Strasbourg, moraria lá pra sempre. Franceses nos levaram pra jantar, tomei muita cerveja da Alsácia, adorei ficar no Hilton, andar de TRAM, ouvir/falar francês.

DSC05498A primeira em território francês, depois de 12hs de vôo. Marido foi me buscar de carro.

DSC05785Na fila do Louvre no 14 juillet: entrada grátis.

DSC05809Louvre: La Joconde

DSC05723Catedral de Notre Dame de Paris. Gostei mais da Catedral de Notre Dame de Strasbourg.

DSC05552Cerveja em frente à Catedral de Notre Dame de Strasbourg.

DSC05965Apreciando os vitrais da linda Galeries Lafayette.

DSC06031DSC06029Tomando cerveja perto da La Tour Eiffel.

E nessa semana que antecede o começo de semestre sempre acho que o tempo passou muito rápido, pra onde foram todas as tardes? Como a viagem passou tão rápido? Meu aniversário já está aí. Do marido foi ontem, acordei e fiz um fudge cake. E no sábado fomos ouvir a Orquestra Sinfônica de SJC no parque, no meio das árvores, tava muito frio. E bom.

A vontade é de sair correndo. Vontade de fazer outra(s) coisas. Estudar Direito, por exemplo.

A cidade é fria, bicho. Desde que cheguei foram poucas as tardes ensolaradas que eu havia me acostumado em Campinas. Não é friozinho, é frio mesmo. Final de semana retrasado descemos de ímpeto pro litoral norte, acabamos almoçando beira-mar no festival do camarão. Daí pegamos um pouquinho de sol.

A boa notícia é que se eu comprar uma bike, dá pra ir trabalhar pedalando. A firma nova fica muito perto. Também não trabalho mais aos sábados, muito menos todos os dias até as 22:00.

à bientôt

good idea

Eu não sei se ela realmente disse isso, ela, assim como a Clarice Lispector, sofre desses males modernos de serem atribuídas à essas frases que fazem a gente sorrir um pouco. Ela também não era francesa, mas sempre que penso em Paris penso nessa inglesinha de sombrancelhas fartas, olhos amendoados e a franjinha. Culpa de Funny Face.

audrey_hepburn-1

Sim, o mito. A eterna Holly Golightly. Já falei dela e de Bonequinha de Luxo (o filme e o livro) tantas vezes. Qualquer outra coisa que eu fale dela, alguém já deve ter falado – e melhor. Eu adoro essa foto, o jeito que ela se senta, meio desconfiada, quase mineirinha, gosto que ela sempre usava sapatilhas e vestia listras como ninguém.

Audrey-Hepburn_8

Aqui ela parece estar na escadaria de Sacré-Coeur, em Montmartre. Olhava pra onde? Pensava em quê? Ela, a mais estilosa de todas, realmente não dava a mínima pra isso – viver de aparência.

Audrey-Hepburn-audrey-hepburn-24127042-500-501

Vou e volto, mas não sem antes de deixarmos um cadeado na Pont des Arts.

a nova rotina

Amanhã faz 4 semanas que o marido foi pra Rússia à trabalho, lembrando que 2 meses antes disso ele ficou em SJC e eu em Campinas, só nos víamos aos finais de semana.

Por  isso vamos nos encontrar na França ❤ agora em Julho, o sonho de uma vida. Estamos planejando tomar vinho branco e cerveja da Alsácia, gelato da Amorino, o triple scoop da Berthillon, queijos, pães, macaron da Ladureé, crepes de nutella, falafel… A lista é grande (mas como vamos andar muito, ok comer tudo isso!).

Mobiliar a casa me manteve ocupada até agora (comprei as cadeiras Eames DS Wood – inspiradas nas cadeiras em plástico criadas por Charles e Ray Eames de 1948), conheci o novo lugar de trabalho onde começo em Agosto, toda sexta faço um bolo diferente, sábados vou ao cinema, estou ensinando um dos gatos a andar de coleira, já achei minha padaria preferida pra comer pão na chapa e pingado, achei uma feira de rua perto de casa.

Agora só falta você, meu bem.

vamos fugir pra outro lugar

Qualquer outro lugar ao sol, outro lugar ao sul, céu azul, céu azul…*

Estamos planejando uma viagem ao litoral, de moto. O destino é este, mas o legal vai ser a viagem em si, o vento, a paisagem, a aventura. Eu nasci em 1979, tenho uma streak meio hippie rolando, eu sei. E daí que semana que vem vai ser incrível. Porque esse bronzeado de pedreiro não me favorece. Sabe assim só os braços? E nada contra pedreiros, o que fez o banheiro da minha mãe é muito gente fina.

* eu gosto muito dessa música.