À velocidade da luz, no escuro da mata escura, o breu o silêncio a espera.

Agora à noite um vagalume entrou pela janela. Aceso, bonito. Não ando no breu, nem ando na treva, o vagalume me guia.

Estou ouvindo muito Oásis de Bethânia.

Anúncios

Um comentário sobre “À velocidade da luz, no escuro da mata escura, o breu o silêncio a espera.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s