saudade

Porque você escreve coisas assim. 

1199508430_f.jpeg

“…Hoje eu re, tre, assisiti “Pão e tulipas”. Eu adoro o som de um acordeão, sabe? E vocês tem de ver essas mulher tocando acordeão nesse filme. Ainda, vi Bonequinha de Luxo, ou Breakfast at Tiffany’s… sempre quis saber o que havia de fabuloso nesse filme pra que a Giu gostasse tanto dele. Eu gostei, obviamante. Mas se ela não voltasse pra buscar o gato, grrr, eu o odiaria, obviamente! Bom, de fato, eu ficava procurando pedacinhos de Giselle Imai (esse é o nome da Giu, sabia? E coloque no Google: Breakfast at Tiffany’s, e com certeza vc encontrará o blog dela… mas com o sobrenome Zayat) e eu realmente achei muito dela nele. Mas a cena da viola na janela, Lula Mae escapando de Holly numa canção que persegue o personagem todo o filme, bem, foi essa cena que eu mais vi a Giselle. Giu, você já tocou guitarra da janela da sua casa? Cara, eu aprenderia tocar essa música, só pra reavivar essa cena! …”
 

E quando a Holly começa a falar porque não dá o nome no gato? Ou quando ela recebe a notícia do irmão, de vestido pink e uma chuva de penas no quarto? É assim que eu sempre penso na Holly. Ela de pink numa imensidão branca, chovendo pena do céu. E claro que já enrolei a toalha na cabeça e sentei na porta pra tocar a viola velha, mas eu não sei Moon River, Dri. E o filme, o filme é melhor que o livro. Capote que nos perdoe. E eu em troca, tenho que ver Jules et Jim (muita vergonha de nunca ter visto!) e ver se partilho de vossa controversa opinião.  

Anúncios

3 comentários sobre “saudade

  1. Drica disse:

    Sério q ela tá de vestido pink? Ah, não saquei… Porque o filme é p&b, entonces…
    Ah, eu não sabia q o filme era baseado num livro do Capote. Eu tenho curiosidade de ler algo dele, até a Simone, no livro q eu tou lendo, cita o Capote, mas ela fala q ele é um jovem escritor e segue aquela linha dos jovens escritores e nessa época, 1948, havia punhados deles em Paris, então ela não se empolga com o rapaz, não. Tem a ver, né, já que você diz que o filme é melhor. Ah, tou encantada com esse livro que foi um presente do tipo da fitinha do Teenage, saca? E o final da história, é … the same! *hehe*
    Giu, mas vc já ouviu Damien Jurado? É de-mais!
    Ah, Jules et Jim é lindo. Vibrei quando vi.
    Beijos e saudades idem!

    resposta:

    Ah, mas então você tem que achar uma cópia colorida, ur-gen-te. Mas me fala, o moçoilo que deu o livro, é de Maracujá mesmo?
    E Damien… Jurado? Não. De Damien só o Rice. Mas procuro. Mas eu chamei sua opinião de controversa porque uma vez vc disse que quando viu Jules et Jim vc achou que o filme era muito hypado, e enm era tudo aquilo que todo mundo fala… Confusa fiquei, então.
    beijoabraço

  2. Gustavo Camargo disse:

    Ei, gostei disso aqui, é de muito bom gosto, vou te visitar com frequência…

    PS.: Gostei muito do visual Jennie Garth aí

    resposta:
    Mas é montagem, o visual loiro 🙂 Quem sabe mesmo assim eu não descubro se é verdade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s